Estamos juntos

Ministro da Energia destaca evolução nas obras de Caculo Cabaça

O ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges, destacou, quinta-feira, o nível de execução das obras da barragem hidroeléctrica de Caculo Cabaça, município de Cambambe (Cuanza- Norte).

De acordo o dirigente, que falava no final de uma reunião do Comité Técnico de Direcção e Monitorização dos trabalhos, os avanços se registam na escavação dos dois túneis de restituição e de acesso à central.

Os túneis, cada um com cinco quilómetros de cumprimento e 16 metros de diâmetro, são as infra-estruturas onde serão instaladas as turbinas, cujos trabalhos de construção, de acordo com João Baptista Borges, estão na ordem dos 22 e 11 porcento, respectivamente.

Apesar do avanço dos trabalhos nessa frente da obra, o responsável frisou que em função da complexidade que exige a perfuração dos túneis, a construção de muitas outras infra-estruturas do complexo hidroeléctrico registam algum atraso porque  requererão alguns reajustes para o cumprimento do prazo contratual da execução.

João Baptista Borges apontou situações técnicas que carecem da integração de alguns equipamentos necessários para evolução da obra, assim como dificuldades com as condições geológicas que não eram as esperadas, em função dos trabalhos no subsolo, como os constrangimentos que concorrem para o atraso em outras frentes.

O ministro apontou também constrangimentos que se verificam nas linhas financeiras do projecto, como atrasos no pagamento ao fiscal ou projectista da obra, entidade fundamental na aprovação do projecto e que asseguram o cumprimento dos prazos contratuais.

Precisou que vai trabalhar com o Ministério das Finanças  para regularizar a situação.

João Baptista Borges recomendou reuniões permanentes entre todos os integrantes na execução da obra para se evitar constrangimentos.

Apesar dos constrangimentos, de acordo com o director do projecto, Augusto Chico, os trabalhos registam avanço na ordem dos 14, 07 por cento de execução física e 15 por cento financeira.

Asseverou que foram erguidas muitas infra-estruturas que contribuirão para o aceleramento dos trabalhos de construção da barragem.

A produção de energia na barragem de Caculo Cabaça está prevista para Outubro de 2026, com a entrada em funcionamento da primeira turbina.

As obras, iniciadas em 2017 e avaliadas em mais de cinco mil milhões de dólares, contam actualmente com 2.500 funcionários, entre nacionais e estrangeiros.

O empreendimento é co-financiado pela República Popular da China, na componente de construção civil do aproveitamento hidroeléctrico e do sistema de transporte associado, no valor de 4,5 mil milhões de dólares e pela Alemanha, na parte do fornecimento e montagem do equipamento electromecânico, orçado em 1,02 mil milhões.

O projecto hidroeléctrico de Caculo Cabaça prevê produzir dois mil 172 megawatts (MW) e fará parte do leque de barragens no médio Kwanza,  como a de  Cambambe (Cuanza Norte), Capanda e Laúca (Malanje).

A construção da barragem está a cargo do grupo estatal chinês China Gezhouba Group.

Além da reunião, João Baptista Borges visitou todas as obras em curso no aproveitamento hidroelectrico, como a central principal, túneis, barragem, estaleiros, ponte e outras.

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...